sábado, 23 de janeiro de 2010

O Turismo na Paraíba


O turismo é uma fonte de divisas que contribui para o desenvolvimento de uma região, de forma mais ou menos intensa, conforme sejam os recursos disponíveis, naturais e culturais, além da infra-estrutura montada para este fim. Na Paraíba, esta atividade vem se desenvolvendo principalmente devido às suas potencialidades, pois ela apresenta uma diversidade de paisagem que varia desde praias de águas mornas e areias brancas, onde “o sol nasce primeiro” até as serras e depressões sertanejas.

João Pessoa e Campina grande já investem muito no setor de serviços e infra-estrutura para o turismo:estrutura viária, hoteleira e de lazer. A construção do Hotel Tambaú, na década de 70, veio dar grande impulso ao turismo da capital, atraindo investimentos para esse setor e ampliando as possibilidades de desenvolvimento comercial na orla marítima.

Atualmente, esta prática vem sendo estendida para o restante do Estado, percebendo-se que alguns municípios já se preocupam em desenvolver o turismo, a exemplo de Cabaceiras, Areia, Monteiro, Sousa, Patos, Guarabira, etc., que aproveitam seus recursos naturais, artísticos, históricos e arquitetônicos para a exploração de forma racional pela a prática do turismo.


O Ecoturismo e o turismo rural


O ecoturismo é uma exploração econômica pouco destrutiva que objetiva gerar recursos conservando a natureza. Compatibiliza desenvolvimento econômico e conservação ambiental, enquanto o turismo rural é uma atividade fora das áreas intensamente urbanizadas.

O turismo rural ocorre quando o turista se hospeda no meio rural e participa dos trabalhos realizados nas fazendas ou sítios. O turismo rural vem sendo praticado em alguns engenhos do Brejo Paraibano. No sertão, em casas rústicas com características próprias do ambiente, explorando culinária regional e demais aspectos do panorama cultural.

Na Paraíba, e em todo o Brasil, discute-se a prática do ecoturismo a ser feita nas Unidades de Conservação. No Estado, foram criadas, pela coordenadoria de Estudos Ambientais, nove dessas unidades com dois parques, seis reservas ecológicas e um monumento natural


João Pessoa


João Pessoa, além das belezas naturais, possui um acervo cultural dos mais importantes do país. São construções do séc. XVI ao XVIII como o Conjunto de São Francisco (Igreja, Convento/Claustro e Cruzeiro), mosteiro de São Bento, Igreja do Carmo, Casa da pólvora e outros, além de obras mais recentes, do final do século XIX e início do século XX – Teatro Santa Rosa, Palácio da Redenção, Palácio da Justiça e o Hotel Globo, local de grandes acontecimentos políticos e sociais da antiga João Pessoa.

Quem chega dos grandes centros urbanos, como é o caso da maioria dos turistas que visitam a capital paraibana, ficam encantados com a grande área de vegetação. É o caso do Jardim Botânico parque Arruda Câmara, mais conhecido por Bica, que ainda abriga árvores características da original Mata Atlântica.

O cartão-postal da cidade de João Pessoa, o Parque Solon de Lucena (Lagoa) também possui raras espécies de árvores e os jardins de Burle Marx. Como pode-se notar, o verde está espalhado por toda a cidade, proporcionando não só a beleza mas uma vida mais saudável aos seus habitantes e visitantes.


O Litoral


Para quem busca agitação, as praias urbanas de João Pessoa são a melhor opção. Além da estrutura de bares, restaurantes, e feiras de artesanato, o turismo encontra ainda passeio de barco até os recifes que acompanham quase toda a extensão da cidade. Um dos lugares mais visitados na capital é a Ponta do Seixas, o trecho de praia que mais se aproxima do continente africano em toda a América do Sul.

Os 37 quilômetros de praias de João Pessoa têm início no Cabo Branco, ponto extremo da América, onde se encontra o mirante e o farol em forma de carnaúba, planta nativa e antiga riqueza da região. Uma vista que permanece na lembrança de todo o visitante, onde se pode ver todo o litoral paraibano, a transparência das águas e sentir a brisa do mar batendo levemente em seu corpo.

À direita vê-se a Praia do Seixas, quase uma ilha nativa. Mais adiante estão as praias da Penha, Jacarapé, Praia do Sol e a última praia do município, Barra de Gramame, uma da mais desertas e onde desemboca o Rio Gramame, formando pequenas ilhas.

Já a esquerda da Praia do Cabo Branco está a parte mais movimentada da Orla, com hotéis de luxo, restaurantes que servem frutos do mar, suco de frutas tropicais e comidas regionais, bares, boates e mercado de artesanato, a arte da população local.

Logo após está a Praia de Tambaú, onde está situado o único hotel beira mar e um dos mais luxuosos e o Mercado de Artesanato com 128 lojas, onde pode-se encontrar os mais variados "recuerdos" típicos. Parada obrigatória dos turistas.

Picãozinho é um dos paraísos da cidade, onde encontramos uma formação de recifes com piscinas naturais que chegam a uma temperatura de 28ºC. Na lua cheia, os hotéis organizam serenatas sobre a água morna, uma integração perfeita do homem com a natureza.

Ainda na mesorregião da Mata Paraibana, no município de Lucena, a Igreja da Guia é uma grande atração pela originalidade do barroco que apresenta, nos seus detalhes arquitetônicos, frutos tropicais, único exemplo de barroco Tropicalista do Brasil. No mesmo município, contrastando com o antigo, foi construído o Victory Marine Resort, na bonita praia do Holandês, com 162 Bangalôs e várias opções de lazer.

Além das praias, existem outras atrações turísticas na região.

No município de Cabedelo, ao norte de João Pessoa, encontramos o Mar do Macaco, a praia de Intermares onde está o parque aquático Intermares Water Park, bem como a praia do Poço. A praia do Jacaré é o local onde se pode ver o mais belo pôr-do-sol. Ainda no município de Cabedelo, a Fortaleza de Santa Catarina (Forte de Cabedelo) é de grande importância histórica, o único existente dentre outros tantos construídos. Atualmente, serve de palco para apresentações folclóricas, peças de teatro, exposições etc.

No município do Conde, o destaque é para Tambaba, primeira praia naturista do Nordeste. Em Pitimbu encontram-se as famosas areias coloridas. O município de Conde é considerado uma vitrine tropical, com coqueiros, falésias e praias selvagens de areia branca. Já Pitimbu, volta-se à prática do eco-esportes - surf e mergulho -; suas areias são escuras, de faixa larga e uma extensão de 10 quilômetros.

No município de Baía da Traição, além das praias, existe um reduto indígena com aldeias.


O Interior do Estado


No agreste, a paisagem serrana e o clima ameno favorecem o desenvolvimento do turismo. O município de Campina Grande funciona como importante pólo turístico com grandes eventos de repercussão nacional e internacional como; o Maior São João do Mundo, as feiras de Ciências e Tecnologia, o festival de Inverno, o Encontro da Nova Consciência, Além do Museu de Arte Assis Chateaubriand com um importante acervo, que atraem um grande número de turistas, acarretando um crescimento dos setores comercial e de serviços.

Nos contrafortes da Serra da Confusão, entre os municípios de Araruna e Tacima, está a Pedra da Boca, cuja configuração lembra um sapo gigante prestes a abocanhar um colossal pirilampo. Lá é praticado o alpinismo, salto de pára-quedas e asa-delta.

Ainda no Agreste, no município de Ingá, encontra-se as itacoatiaras (pedras do Ingá) na fazenda de Pedra Lavrada, considerada uma das inscrições pré-históricas mais importantes da terra, objeto de estudo para cientistas do país e exterior.

No município de Areia, o museu Pedro Américo é de grande importância turística, por conter quadros e desenhos do grande pintor filho da terra.

A Mesorregião da Borborema é rica em artesanato de couro, bordados e renda renascença, além de relíquias arqueológicas com inscrições rupestres.

Uma grande atração dessa região é o Sítio de Pai Mateus, lajedo moldado pela ação dos ventos e das chuvas (escassas) entre os municípios de Boa Vista e Cabaceiras. Outros atrativos: o banho do Rabo do Pavão no Congo; as tradicionais águas magnesianas em Monteiro, o famoso São João da cidade de Santa Luzia.

No sertão, o turista além de desfrutar da fantástica paisagem bucólica, poderá visitar, em Souza, a Estação Termal de brejo das Freiras, usufruindo dos benefícios das águas magnesianas ali existentes. Ainda, no município de Sousa, tem-se uma espetacular atração: o Vale dos Dinossauros, sítio paleontológico mundialmente conhecido. O Vale abriga pegadas de 130 milhões de anos

Um dos pontos turístico-religioso mais importante do interior da Paraíba é o Memorial Frei Damião, localizado na Serra da Jurema em Guarabira (Piemonte da Borborema). A estátua com cerca de 35 metros de altura é considerada a segunda maior do Brasil

O Santuário de Frei Damião, situado em Guarabira é um projeto arquitetônico composto de um museu e uma estátua, em homenagem ao frade capuchinho Frei Damião de Bozzano, um missionário do Nordeste brasileiro. Atualmente é considerada a segunda maior estátua do Brasil.




Referências:

Paraíba: Desenvolvimento econômico e a questão ambiental / Antonio Sérgio Tavares de Melo, Janete Lins Rodriguez – João Pessoa , Grafset, 2003

Atlas Escolar da Paraíba / Coordenadora : Janete Lins Rodrigues – João Pessoa, Grafset, 2002

Outras : Wikipédia

4 comentários:

Chico Lima disse...

Professor Josias, parabéns pela matéria...
Eu a publiquei no Portal Paraibavip com a devida citação da autoria. Gostaria de convidá-lo a dar uma olhadinha no seguinte endereço:
http://www.paraibavip.com.br/turismo_ver.php?id=32

Abraço, Chico Lima

Anônimo disse...

parabens, mas oa estançia termal brejo das feiras e em saõ joaõ do rio do peixe e naõ em sousa .

Professor Josias disse...

quer dizer região de Sousa

passeio de buggy em joão pessoa disse...

A Paraíba ė linda, e possui litorais com paisagens únicas. São verdadeiros paraísos intocados pelo homem. Possui praias desertas de piscinas naturais que encantam a seus turistas.