sábado, 23 de janeiro de 2010

Hidrografia paraibana

Os rios dependem muito do relevo e do clima. Por isso existem os rios perenes e temporários de planície ou encachoeirados.

A mais forte característica dos rios paraibanos é o fato de a maioria serem temporários, ou seja, diminuem bastante de volume ou mesmo secam nos períodos de saca, principalmente no sertão, o que complica a agricultura na região.

As principais bacias hidrográficas da Paraíba estão representadas pelos rios Piranhas, Paraíba e Mamanguape. Nas bacias do litoral estão os rios Camaratuba, Miriri e Gramame. Finalmente na Bacia da Borborema Setentrional, podemos encontrar o Rio Curimataú.




Na hidrografia da Paraíba, os rios fazem parte de dois grupos, Rios Litorâneos e Rios Sertanejos.


Grupo dos Rios Litorâneos - são rios que nascem na Serra da Borborema e vão em busca do litoral paraibano, para desaguar no Oceano Atlântico. Entre estes tipos de rios podemos destacar: o Rio Paraíba, que nasce no alto da Serra de Jabitacá, no município de Monteiro, com uma extensão de 360 km de curso d'água, correndo com seus afluentes em direção ao mar, constituindo na maior “bacia hidrográfica” do Estado. Também na porção oriental podemos destacar outras bacias, a do Rio Curimataú, que continua no Rio Grande do Norte, Camaratuba e Mamanguape, entre outros.


Grupo dos Rios Sertanejos - são rios que vão em direção ao norte em busca de terras baixas e desaguando no litoral do Rio Grande do Norte. O rio mais importante deste grupo é o Rio Piranhas, que nasce na Serra de Bongá, perto da divisa com o estado do Ceará. Esse rio é muito importante para Sertão da Paraíba, pois através desse rio é feita a irrigação de grandes extensões de terras no sertão. Tem ainda outros rios, como o Rio do Peixe, Rio Piancó e o Rio Espinhara, todos afluentes do Rio Piranhas. Os rios da Paraíba estão inseridos na Bacia do Atlântico Nordeste Oriental e apenas os rios que nascem na Serra da Borborema e na Planície Litorânea são perenes. Os outros rios são temporários e correm em direção ao norte, desaguando no litoral do Rio Grande do Norte.


Referências:


Paraíba: Desenvolvimento econômico e a questão ambiental / Antonio Sérgio Tavares de Melo, Janete Lins Rodriguez – João Pessoa , Grafset, 2003


Atlas Escolar da Paraíba / Coordenadora : Janete Lins Rodrigues – João Pessoa, Grafset, 2002



6 comentários:

Angélica Fialho disse...

Olá Josias, sou Angélica Fialho, natural de Belém, mas, moro em João Pessoa, Estava pesquisando para um trabalho do meu filho, sobre os rios da paraíba, foi aí que encontrei o seu blog.
Muito obrigada nos ajudou bastante.

Patrícia disse...

Olá Professor! Sou estudante de Economia da Universidade Federal Rural de Pernambuco, estou fazendo o pesquisa sobre o Rio Paraiba e estou com dificuldades de enumerar as cidades pelas quais o rio passa, vc poderia me ajudar?
Atenciosamente,
Patricia duarte
email: patriciaduarte14@hotmail.com

rafaela maranhão disse...

ola sou aluna de faculdades de economia rural de rondonia porto-velho e estou com algumas deficuldades pode mim ajuda

Anônimo disse...

eu queria nomes dos rios da paraiba e informaçoes sobre ele para hoje de de 16.00 horas da tarde voce poderia me ajudar por favor

Anônimo disse...

ola sou debora de campina grande estudo na escola eatadual murilo braga muito obrigado pela ajuda

CENSURADO AGAIN disse...

FALTA A AREA DAS BACIAS MORES ACHO QUE A DIVISÃO É FALHA POIS UM RIO ORIENTAL PODE NASCER DO PLATO PRINCIPAL COMO O PB OU DO PLATO SECUNDARIO SEDIMENTAR A LESTE POS DEPRESSÃO QUE GERALMENTE SÃO BACIAS MENORES ESSAS SIM LITORANEAS O PB NASCE NO SERTÃO OUTROS RIOS BORBOREMICOS TAMBEM CORREM PRO OESTE E SÃO AFLUENTES DO AÇU MEDIO EXEMPLO O SERIDÓ ESSA CLASSIFICAÇÃO É SINTETICA E POUCO CRITERIOSA A TODOS OS NIVEIS